quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Paraíba recebe equipe para estudar a implantação do VLT em Campina Grande na última quarta-feira (27)

28/12/2011 - iParaíba

A equipe técnica iniciou os estudos para a implantação do novo sistema de transporte, tendo a frente o professor Nilson Nunes da Universidade Federal de Minas Gerais

Equipe técnica que estudou a implantação do VLT

De acordo com o professor Nunes, a implantação desse sistema tem o intuito de trazer mais fluidez ao trânsito campinense, beneficiando as comunidades mais distantes, que sofrem com os problemas de locomoção. Para ele o projeto do VLT viabiliza, através de aparatos tecnológicos, a implantação do metrô, que além de encurtar distâncias contribuirá com o avanço no setor de transportes, acarretando um melhoramento significativo no trânsito da cidade e região.
 
A busca constante por medidas que amenizem o caos nesse setor, novos sistemas que possibilitassem apoio aos atuais e idéias que beneficiassem não só a população, mas também os aparatos já existentes, foram alguns dos tópicos a serem pensados por Salomão Augusto, superintendente da STTP e responsável direto pelo Projeto.
 
Para Salomão, uma cidade como Campina Grande não pode ficar restrita apenas ao sistema de transporte público atual, realizada por meio de ônibus. “Por estar em constante crescimento, sendo uma cidade pólo que abriga pessoas de diversas partes do país e até fora dele, é necessário que haja uma reflexão sobre como lidar com a responsabilidade desse avanço”, explicou.
 
O projeto ganhou vida há algum tempo e logo se disseminou através do superintendente, que buscou o apoio de outras autoridades. Nos últimos dias 24 e 25 de novembro ele participou da 76ª Reunião do Fórum Nacional de Secretários e Dirigentes Públicos de Transporte Urbano onde, na oportunidade, recebeu o apoio do Secretário Nacional de Transportes e Mobilidade Urbana, Luiz Carlos Bueno de Lima, que se mostrou bastante satisfeito com a idéia do VLT.
 
Ainda em meados de novembro, o superintendente foi até a cidade de Barbalha (CE) onde fez uma visita técnica à fábrica dos VLT’s (Empresa Bom Sinal) e também observou como se dá o funcionamento do equipamento no trecho entre Crato e Juazeiro. O resultado dessa visita integrou um relatório que foi apresentado ao prefeito Veneziano Vital do Rêgo, que autorizou a imediata contratação de empresa para inicio dos estudos e execução do projeto.
 
Como as condições mostram-se bastante favoráveis, visto que Campina Grande já possui uma malha viária de boa qualidade, o projeto VLT não demorará muito tempo e, em aproximadamente um mês, os estudos estarão concluídos é o que afirma Salomão, que se mostra bastante realizado com o inicio do projeto e já vislumbra a sua conclusão. 
 
“Vejo o projeto como uma conquista. Uma possibilidade que trará consigo benefícios para a população campinense que ainda enfrenta dificuldades no setor. Afirmo que estou bastante satisfeito pelo que já fiz e ainda pretendo fazer para contribuir com o desenvolvimento do setor de trânsito e transporte de Campina Grande”, disse o superintendente. Ele adiantou ainda, que a previsão é de que, até o segundo semestre de 2012, o VLT já esteja em funcionamento.

sábado, 17 de dezembro de 2011

Lei que trata do Ramal Parangaba-Mucuripe é publicada

16/12/2011 - Governo do Ceará

As propostas do governador Cid Gomes referentes a realocações e indenizações dos moradores por onde as obras do Ramal Parangaba-Mucuripe foram oficializadas na Lei 15.056. Publicada no Diário Oficial do Estado do último dia 12, o documento estabelece os valores das indenizações e acrescenta novidades positivas em relação às famílias com valor a receber inferiores a R$ 16 mil. A Secretaria da Infraestrutura (Seinfra), segundo a lei, ficará responsável por executar o programa de apoio ao trabalho de desapropriação, indenização e remoção das famílias. 





Pela lei os proprietários dos imóveis residenciais ou mistos avaliados em até R$ 40 mil e que morem no local, além da indenização correspondente, receberão uma unidade residencial dentro do Programa Minha Casa Minha Vida (PMCMV), da Caixa Econômica Federal, com prestações custeadas pelo Estado. O local escolhido pela Seinfra para as famílias será o condomínio Cidade Jardim. 

Estação Mucuripe

Já os proprietários de imóveis avaliados acima de R$ 40 mil receberão o valor correspondente à desapropriação em dinheiro. A unidade dentro do Programa Minha Casa Minha Vida (PMCMV), por sua vez, será entregue mediante o custeio das prestações. As avaliações são realizadas levando em consideração o terreno e as benfeitoras, como edificações, dentro da área. 

Além dos proprietários, os que são exclusivamente posseiros na forma da legislação civil e que morem há pelo menos 12 meses antes da data da publicação da lei 15.056, também receberão um imóvel quitado pelo Governo do Estado. Quem for posseiro há menos de 12 meses receberá o imóvel do PMCMV, mediante o aceite em custear as prestações. 

Estação Antônio Sales
Os inquilinos também poderão ser contemplados com as unidades habitacionais, bastando comprovar que residem no local há pelo menos 12 meses. E se comprometerem ao pagamento das prestações das unidades. Pela Lei, o Governo do Estado também custeará o aluguel social de R$ 200 mensais às famílias que tiverem seus imóveis avaliados abaixo de R$ 16 mil até a unidade habitacional do PMCMV ficar pronta. Alguns destes casos são de moradores que não podem ter os terrenos em que residem somados ao valor da desapropriação pelo fato de as propriedades pertencerem à União. 

Ramal Parangaba - Mucuripe 
O Ramal Parangaba - Mucuripe será uma das grandes obras estruturantes no conceito de mobilidade urbana em Fortaleza para a Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014. O Ramal vai ser operado com VLTs (Veículos Leves Sobre Trilhos) e fará a conexão ferroviária de 12,7 quilômetros entre a Estação Parangaba e o Porto do Mucuripe. Serão 11,3 km em superfície e 1,4 km em elevado. 


A obra visa à remodelação do ramal ferroviário Parangaba-Mucuripe, atualmente utilizado para transporte de carga, objetivando a utilização do mesmo para transporte de passageiros. O Ramal Parangaba Mucuripe passará por 22 bairros da Capital. A previsão é que a obra tenha início em janeiro de 2012 e seja concluída até o início do segundo semestre de 2013 (inclusive final dos testes) e, uma vez concluído, deverá ser utilizado por 90 mil passageiros por dia. Seis Veículos Leves sobre Trilhos (VLTs) fabricados pela Bom Sinal no Cariri conduzirão os passageiros. Movidos a diesel, os VLTs possuem ar-condicionado, sendo mais confortáveis que os antigos trens. Serão dez estações, sendo que as da Parangaba e do Papicu possuem projeto diferenciado, devido à integração com os terminais de ônibus. As demais estações serão localizadas no Montese, Vila União, Rodoviária, São João do Tauape, Pontes Vieira Mucuripe, Serviluz e Praia Mansa. 

Saiba mais 

O Ramal, que ligará o Mucuripe à Parangaba utilizando Veículos Leves sobre Trilhos (VLT), é uma das realizações do Governo do Estado para a Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014. Oito consórcios e duas empresas, dez no total, concorrem para ver quem realizará as obras civis do VLT. Pela proposta governamental o valor de referência, ou seja, o máximo preço que poderá ser proposto pelas empresas será de R$ 205.196.002,24. 

domingo, 11 de dezembro de 2011

2011 – O ano do VLT e a retirada da Feira do Passarinho em Maceió

02/12/11 - CBTU

O superintendente da CBTU-Maceió, Marcelo Aguiar, elogiou a iniciativa da realização do 1º Encontro Nacional de Avaliação e Planejamento da CBTU. O evento foi uma oportunidade para compartilhar informações, trocar experiências com as demais unidades da Companhia, e promover a integração entre as mesmas.

No ano de 2011, as principais ações realizadas pela CBTU-Maceió foram a retirada da Feira do Passarinho, a chegada dos VLTs, as construções de duas novas estações - Gustavo Paiva e Lourenço de Albuquerque -, boxes para os feirantes, uma garagem para o auto de linha, muro de fechamento da via permanente, além da remodelação de 13.100km de via, com previsão de conclusão em fevereiro de 2012, a continuidade da obra da estação de Maceió e a aquisição de um caminhão rodoferroviário.

A principal dificuldade para a regional, em 2011, foi o contigenciamento do orçamento, o que prejudicou o planejamento de abertura de novos processos, restando apenas a manutenção dos já existentes, sem chances para novas implementações.

Marcelo Aguiar tem boas expectativas para o próximo ano. Espera que a CBTU-Maceió seja contemplada com um orçamento mais favorável, para que possa por em prática os seus projetos e ações e não somente dar continuidade aos processos em curso.

Fonte: Imprensa CBTU-Rio de Janeiro

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

2900 famílias devem ser removidas em obra do Metrofor

08/12/2011 - Jornal O Povo

Para valores de até R$ 40 mil, a família deverá receber, além da indenização, um apartamento quitado do programa Minha Casa Minha Vida, no valor de R$ 100 mil.

Cerca de 2900 famílias devem ser removidas para o encaminhamento das obras da linha Parangaba-Mucuripe do Metrofor, de acordo com o governador Cid Gomes, em visita surpresa à Assembleia Legislativa na manhã desta quarta-feira, 7.

"Nós vamos ter a necessidade de muitas, mas muitas desapropriações", declarou o governador. Durante a apresentação sobre o andamento das obras do metrô, ele disse ainda que cerca de 3700 imóveis vão sofrer algum tipo de intervenção, mas não necessariamente demandará a realocação da família. "Boa parte (das intervenções) é de pouco espaço, 50 centímetros, um metro", explicou.

Cid Gomes ainda comentou sobre a lei, sancionada por ele nesta terça-feira, 6, que deve definir os critérios de desapropriação e indenização dos imóveis durante as obras. Para valores de até R$ 40 mil, a família deverá receber, além da indenização, um apartamento quitado do programa Minha Casa Minha Vida, próximo ao conjunto José Walter, no valor de R$ 100 mil.

No caso de valor acima de R$ 40 mil, a indenização deve também ser acompanhada de um apartamento, mas a família deverá pagar prestações mensais de R$ 50, durante ao longo de aproximadamente 20 anos.

"Tudo que puder ser feito para evitar as remoções, nós faremos", afirmou o governador. Ainda segundo ele, cerca de 90 mil pessoas por dia, entre habitantes da Região Metropolitana de Fortaleza e da Capital, deverão utilizar a linha.

Fonte: Jonal O Povo
 

Prefeito de Campina Grande, na Paraíba, autoriza empresa para estudar implantação de metrô

06/12/2011 - PB Agora

Prefeito autoriza contratação de empresa para estudos de implantação de metrô.

O prefeito Veneziano Vital do Rêgo, na manhã desta segunda-feira, autorizou à STTP contratar empresa especializada para gerar estudos técnicos que viabilize a implantação do VLT (metrô leve) em Campina Grande.
 
Durante reunião em seu gabinete, Veneziano recebeu do superintendente da STTP, Salomão Augusto, relatório com todos os dados da visita técnica realizada na última semana à cidade de Barbalha, no Ceará, para o conhecimento de todo o processo de produção e fabricação do VLT.
 
Ao final do encontro Veneziano ratificou À STTP o total apoio da prefeitura para colocar em funcionamento, até setembro de 2012, de duas composições (vagões) desse novo modal de transporte, o que vai garantir uma melhoria considerável de mobilidade à população de Campina Grande. “O prefeito tem demonstrado apoio a esse projeto, e seu gesto só fortalece a idéia de que trabalhando hoje, garantiremos um futuro prospero para o sistema de transporte da cidade”, disse o superintendente da STTP, Salomão Augusto.
 
Salomão informou também que já tem reunião agendada com equipe técnica da FMG, empresa especializada na elaboração de estudos e projeto para implantação desse tipo de equipamento e com a empresa CFN, detentora da malha ferroviária na região de Campina Grande.
 
O VLT é uma espécie de Metro de superfície urbano ou suburbano de passageiros, que utiliza equipamentos e infra-estrutura mais leve que usada normalmente em sistemas de metropolitano ou de Ferrovias.

Alagoas tenta incluir o VLT em lista de obras do PAC

08/12/2011 - Tribuna Hoje

Vilela esteve reunido nesta quarta com secretário-geral do programa

O governador Teotonio Vilela Filho (PSDB) reuniu-se nesta quarta-feira (7) com o secretário-geral do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), Maurício Muniz, para discutir a inclusão de uma nova obra de Alagoas no programa federal.
 
No encontro, que aconteceu no Ministério do Planejamento, em Brasília, foi apresentada a proposta de inclusão da construção de uma linha de Veículo Leve Sobre Trilhos (VLT), ligando o Aeroporto Internacional Zumbi dos Palmares ao centro de Maceió.
 
O projeto já está em análise pelo governo federal e aguarda aprovação e liberação de recursos para sua implementação. O primeiro VLT de Alagoas tem custo estimado em R$ 280 milhões.
 
O governador Teotonio Vilela foi ao encontro para esclarecer detalhes e renovar o pedido de inclusão da obra no PAC. Caso o projeto alagoano seja aprovado, os recursos devem começar a ser liberados já em 2012. A previsão é que até o final do ano, os analistas do PAC anunciem as obras que deverão ser incluídas na programação orçamentária.
 
Ao final da reunião, Teotonio Vilela afirmou estar otimista com a possibilidade de inclusão do VLT no PAC. Ele destacou que um dos fatores importantes para a aprovação da obra é o alinhamento da proposta entre o Governo do Estado e a Prefeitura de Maceió.
 
O VLT é uma melhoria no sistema de transporte público da capital alagoana, que vai melhorar a vida dos usuários e também os serviços na indústria do turismo. A obra tem importância fundamental para o desenvolvimento do turismo, sobretudo com a proximidade da Copa de 2014 e as Olimpíadas de 2016.
 
BR-101
 
O governador Teotonio Vilela, o secretário da Infraestrutura, Marco Fireman, e o diretor-presidente do Departamento de Estradas de Rodagem (DER), Marcos Vital, também se reuniram com o ministro dos Transportes, Paulo Sérgio Passos. Na pauta da reunião, a construção dos postos fiscais ao longo da BR-101. Os postos deverão ser construídos nas proximidades das divisas com os estados de Pernambuco e Sergipe

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Natal: Fátima Bezerra renova pedido de VLT a Dilma em São Gonçalo

29/11/2011 - Tribuna do Nortr

Já encontra-se em análise no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) 2 o projeto apresentado pelo Governo do Estado que trata do VLT para Natal

Durante a  cerimônia de assinatura do convênio do Aeroporto Internacional de São Gonçalo do Amarante nesta segunda-feira (28), a deputada federal Fátima Bezerra (PT) entregou à presidenta Dilma Rouseff ofício renovando o pedido para que o Governo Federal dê prioridade ao projeto que trata da implantação do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT)  em Natal e Região Metropolitana.

O esforço da deputada é no sentido de garantir não apenas o VLT em Natal, mas ampliá-lo para a Região Metropolitana.

A deputada federal afirmou que esse era um momento oportuno para fortalecer a discussão em torno da mobilidade urbana da RMN. "A integração entre o novo aeroporto e uma eficaz estrutura ferroviária e rodoviária do seu entorno  são essenciais para o desenvolvimento social e econômico sustentável da Região", defendeu.

 

terça-feira, 29 de novembro de 2011

Metrô de Sobral está com 20% das obras concluídas

29/11/2011 - Metrofor


O metrô de Sobral, que está sendo construído pela Companhia Cearense de Transportes Metropolitanos (Metrofor), terá dois ramais e onze estações.

O Governo do Estado deve entregar, em setembro de 2012, o metrô de Sobral. A obra, que foi iniciada em março deste ano, está recebendo um investimento de R$ 71 milhões. O metrô  vai  transportar 5.000 pessoas por dia em cinco composições. Serão, ao todo, 64 viagens ligando diversos bairros da cidade em 12,1 quilômetros de ferrovias. A execução das obras chegou a 20% em novembro. Os recursos são do Governo do Estado (R$ 50 milhões) e União (R$ 21,6 milhões), por meio da Companhia Brasileira de Transportes Urbanos (CBTU).

O metrô de Sobral, que está sendo construído pela Companhia Cearense de Transportes Metropolitanos (Metrofor), terá dois ramais e onze estações. Atualmente, seis delas já estão sendo edificadas. “A construção das estações está bem avançada. Estamos iniciando a implantação da linha nova, que liga a Grendene ao Junco, bem como a construção do Centro de Manutenção, que fica localizado depois da Grendene”, afirma Edilson Aragão, diretor de Desenvolvimento e Tecnologia do Metrofor.

O sistema de VLT de Sobral terá dois ramais que irão passar pelas principais concentrações populacionais da cidade. Os dois ramais formam dois “U” invertidos, que se tangenciam numa estação de integração. Um dos ramais já existe e possui 6,4 quilômetros de extensão. Este ramal irá compartilhar a linha de cargas e que, hoje, é administrada pela Transnordestina Logística. O segundo ramal será implantado ligando Grendene à Cohab III, com 5,7 quilômetros, que vai atender o bairro mais populoso de Sobral, Dr. José Euclides, e grandes pólos geradores de viagens, como a Grendene e o Centro de Convenções.

O Metrô de Sobral é mais uma iniciativa do Governo do Ceará de requalificar o transporte ferroviário de passageiros no interior do Estado e de estruturar as cidades de médio porte, aliando investimentos públicos à melhoria da qualidade de vida da população destes municípios. O empreendimento terá um investimento total de R$ 70,1 milhões.

Exposição

O primeiro Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) do Metrô de Sobral já chegou à cidade. O equipamento está em exposição nas imediações da rotatória da Av. Dr. José Euclides com Av. Pimentel Gomes, no bairro Coração de Jesus. A iniciativa da Companhia Cearense de Transportes Metropolitanos (Metrofor) é permitir que a população conheça de perto o equipamento que deve começar a operar em 2012.

O VLT faz parte de um conjunto de cinco composições fabricadas pela empresa Bom Sinal, que tem sede em Barbalha, na Região do Cariri. O Governo do Ceará investiu na compra dos equipamentos cerca de R$ 22,4 milhões. Cada VLT é formado por dois carros, tem movimentação bidirecional e capacidade de transporte de 358 passageiros.

O que é um VLT

O VLT é um Veículo Leve sobre Trilho com capacidade para 230 passageiros. As composições medem 29 metros de comprimento e alcançam uma velocidade máxima operacional de 60 km/h. Os VLTs que serão utilizados em Sobral estão sendo fabricados pela empresa Bom Sinal, em Barbalha. Ao todo, serão fabricados cinco veículos automotrizes, com motorização diesel, tração hidráulica, movimentação bidirecional, duas cabines de comando e ar condicionado.

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

VLT de Fortaleza terá trens produzidos no próprio estado

24/11/2011 - Arena Nordeste

O governo cearense ainda analisa as propostas apresentadas na última semana na licitação para a construção da linha "Parangaba-Mucuripe" via trilhos
Trens de VLT da linha Parangaba-Mucuripe
créditos: Divulgação

A empresa vencedora vai trabalhar com seis trens de VLT (Veículo Leve sobre Trilho) adquiridos pelo Estado no próprio Ceará, em uma fábrica localizada na cidade de Barbalha, região do Cariri.

Foram investidos R$ 57 milhões nos aparelhos, que serão responsáveis por atender cerca de 100 mil pessoas por dia na capital cearense, num trajeto de cerca de 13 km atravessando 22 bairros.

“Hoje o trânsito da cidade está saturado, o tráfego é como em grandes metrópoles, por isso é importante investir em mobilidade urbana”, analisou o assessor da presidência da Metrofor, Fernando Mota.

A linha deve começar a operar no final de 2013, com cada trem transportando até 766 passageiros (208 sentados) a um velocidade de 60 km/h (em testes pode chegar a 90 km/h).

Sobre a desapropriação de casas na área que a linha passará, o governo cearense informou que os imóveis já estão sendo avaliados e que será pago o valor integral de cada um. O governador Cid Gomes garantiu que tudo será pago à vista. “Estamos tendo cuidado e respeito com as famílias, inclusive pagaremos a indenização à vista”, afirmou Cid Gomes.

Outras Linhas

A linha Sul do metrô de Fortaleza será entregue em 2012 e tem um trecho de 24 quilômetros, sendo 18 Km na superfície, 3,8 Km subterrâneo e 2,2 Km em elevado. Com capacidade para transportar 350 mil passageiros por dia, as 20 estações da linha Sul vão ligar o centro de Fortaleza e o município de Pacatuba, na Região Metropolitana.

A linha leste está em fase de elaboração do projeto executivo. O governo espera iniciar as obras antes de 2014. Cid Gomes anunciou que terá audiência com a presidenta Dilma Rousseff, na próxima quinta-feira (17.11), para discutir o assunto. “Temos 70% da equação financeira de R$ 3,3 bilhões resolvida. Espero finalizar os outros 30% com a presidenta”.
Metrô de Sobral deve ficar pronto em 10 meses

23/11/2011 - O Povo

O Governo do Estado prevê que o município de Sobral receba o metrô em setembro de 2012. A obra foi iniciada em março deste ano e R$ 71 milhões estão sendo investidos. O metrô deve transportar cinco mil pessoas por dia em cinco composições.

Ao todo, serão 64 viagens ligando diversos bairros da cidade em 12,1 km de ferrovias. Em novembro, a execução das obras chegou a 20%. O Governo do Estado está investindo R$ 50 mi na obra e a União, R$ 21,6 mi, por meio da Companhia Brasileira de Transportes Urbanos (CBTU).

O sistema de VLT de Sobral terá dois ramais que irão passar pelas principais concentrações populacionais da cidade. Eles formam dois “U” invertidos, que se tangenciam numa estação de integração.

Um dos ramais já existe e possui 6,4 quilômetros de extensão. Ele irá compartilhar a linha de cargas onde, hoje, é administrada pela Transnordestina Logística. O segundo ramal será implantado ligando Grendene à Cohab III, com 5,7 quilômetros, que vai atender o bairro mais populoso de Sobral, Dr. José Euclides, e grandes pólos geradores de viagens, como a Grendene e o Centro de Convenções.

terça-feira, 15 de novembro de 2011

VLT: obras estão previstas para janeiro de 2012 em Fortoleza

09/11/2011 - Diário do Nordeste

Se iniciadas no prazo, previsão é de que trabalhos sejam concluídos no segundo semestre de 2013.

Deverão ter início em janeiro de 2012 as obras civis para a instalação do ramal Parangaba-Mucuripe do Metrô de Fortaleza, que interligará as duas localidades da capital cearense por meio de Veículos Leves sobre Trilhos (VLT). Esta é a expectativa do governo estadual, que recebeu ontem, na Comissão de Licitações da Procuradoria-Geral do Estado do Ceará (PGE), as propostas de empresas para a licitação do projeto. Ao todo, oito consórcios e duas empresas concorrerão no certame.

De acordo com a assessoria de imprensa da Secretaria de Infraestrutura (Seinfra), a previsão para o término das obras é para o início do segundo semestre de 2013.

O valor máximo a ser pago pelo governo, de acordo com edital publicado, é de R$ 205,19 milhões, e será escolhido como vencedor o consórcio ou empresa que apresentar o menor preço para o serviço.

Concorrentes à licitação

Entregaram a documentação, que consta dos dados de habilitação e proposta de preço, os seguintes consórcios: Acciona (Acciona do Brasil Ltda e Acciona Infraestructuras S.A); Aterpa/Emsa/J Dantas; Construcap/Cetenco/Engefel (Construcap CCPS Engenharia e Comércio S/A, Cetenco Engenharia S/A e Engefel-Engenharia Civil e Ferroviária Ltda); CPE-VLT Fortaleza (Consbem Construções e Comércio, Construtora Passarelli e Engexata); Consórcio EIT - Edeconsil (EIT Construções S/A Edeconsil Construções e Locações); Consórcio Tiisa Triunfo (Iesa Infra Estrutura S/A, Mercurious Engenharia S/A, DP Barros Pavimentação e Construção Ltda); Consórcio Marquise-Constran (Construtora Marquise S/A e Constran S.A Construção e Comércio), Consórcio Petra-Realidade-Convap (Petra Construtora Ltda, Realidade Engenharia Ltda e Convap Engenharia e Construçoes), e as empresas Galvão Engenharia e Mendes Junior Trading e Engenharia.

Análise

Ontem, foram abertos os envelopes contendo os documentos de habilitação das empresas, que serão analisados por equipe técnica na Secretaria de Infraestrutura (Seinfra).

O julgamento será divulgado em sessão pública, em data a ser ainda divulgada, segundo informou a PGE. As propostas comerciais permanecerão sob a guarda e responsabilidade da comissão, lacradas e rubricadas até a data de suas aberturas.

O ramal do VLT passará por 22 bairros da Capital, percorrendo 12,7 quilômetros entre a Estação Parangaba e o Porto do Mucuripe.

Valor máximo

205 milhões é o valor máximo a ser pago pelo governo. Vencerá quem se propuser a fazer o serviço pelo menor preço

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Veículos do Cariri, no Ceará, à frente do VLT de Fortaleza

14/11/2011 - Portal 2014

Empresa vencedora da licitação para as obras será anunciada até o fim do ano. Os seis trens que vão conduzir em torno de 100 mil pessoas por dia são produzidos no estado

O governo do Ceará anuncia até o fim do ano o vencedor, entre dez propostas recebidas na última semana, do processo de licitação das obras da linha do Veículo Leve Sobre Trilhos (VLT) que ligará Parangaba a Mucuripe, em Fortaleza. O empreendimento, que está na matriz de responsabilidade para a Copa do Mundo da FIFA 2014, movimenta a indústria local. A fábrica que vendeu os seis veículos, ao custo total de R$ 57 milhões, fica em Barbalha, região do Cariri.

Em 2003, a empresa Bom Sinal, que antes produzia apenas cadeiras de estádios de futebol começou a reformar vagões de trens que estavam desativados para o transporte de passageiros. Hoje, esse projeto fica a cargo do governo cearense, enquanto a Bom Sinal se voltou para a produção dos VLTs.

Na oficina da Companhia Cearense de Transporte Metropolitano (Metrofor), os vagões antigos são cortados e pintados, ganham janelas, ar-condicionado e cadeiras. São quatro carros puxados por uma locomotiva a diesel, que atende a linha oeste.

A previsão é que os VLTs comecem a circular no fim de 2013. Com capacidade de transportar até 766 passageiros, sendo 208 sentados, o veículo tem quatro vagões sem separação e velocidade operacional de 60 Km/h (em testes pode chegar a 90 Km/h).

A linha Parangaba/Mucuripe vai atender até 100 mil pessoas por dia, num percurso de quase 13 quilômetros, que passa por 22 bairros. "Hoje o trânsito da cidade está saturado, o tráfego é como em grandes metrópoles, por isso é importante investir em mobilidade urbana", destaca o assessor da presidência da Metrofor, Fernando Mota.

Desapropriações

As linhas de ida e volta do VLT serão paralelas à linha ferroviária de carga, aproveitando o ramal já existente. No entanto, ao longo dos anos a área foi ocupada e abriga inúmeras casas. Em função disso, 2.700 famílias serão removidas da região para dar lugar ao projeto. De acordo com o governo, 1.900 famílias já foram visitadas e tiveram os imóveis avaliados para receber a indenização em valor integral.

"Estamos tendo cuidado e respeito com as famílias, inclusive pagaremos a indenização à vista", prometeu o governador cearense, Cid Gomes, durante evento de inauguração da primeira etapa das obras do estádio Castelão, na última sexta-feira (11.11).

O chefe do executivo local afirmou que as pessoas com propriedades no valor de até R$ 16 mil terão, ainda, direito a um imóvel no conjunto José Valter, que está sendo construído para abrigá-las e fica a 12 Km do centro de Fortaleza, além de um "aluguel social" de R$ 200 por mês até que seja entregue a nova moradia.  

As famílias com imóveis avaliados entre R$ 16 mil e R$ 40 mil receberão, além da indenização, um imóvel quitado no novo conjunto habitacional, enquanto aquelas com propriedades com valor superior a R$ 40 mil poderão financiar o novo apartamento pelo programa Minha Casa, Minha Vida, explica Mota.

Outras Linhas

A linha Sul do metrô de Fortaleza será entregue em 2012 e tem um trecho de 24 quilômetros, sendo 18 Km na superfície, 3,8 Km subterrâneo e 2,2 Km em elevado. Com capacidade para transportar 350 mil passageiros por dia, as 20 estações da linha Sul vão ligar o centro de Fortaleza e o município de Pacatuba, na Região Metropolitana.

A linha leste está em fase de elaboração do projeto executivo. O governo espera iniciar as obras antes de 2014. Cid Gomes anunciou que terá audiência com a presidenta Dilma Rousseff, na próxima quinta-feira (17.11), para discutir o assunto. "Temos 70% da equação financeira de R$ 3,3 bilhões resolvida. Espero finalizar os outros 30% com a presidenta".

Protagonismo em 2014

A capital cearense será palco de seis partidas do Mundial de 2014. Na primeira fase, o Castelão será a sede de um dos jogos da Seleção Brasileira, válido pela segunda rodada. A arena ainda pode receber um novo duelo do Brasil, pelas quartas de final, caso a equipe de Mano Menezes se classifique em primeiro lugar na fase de grupos.

sábado, 12 de novembro de 2011

terça-feira, 8 de novembro de 2011

Terceiro VLT chega a Maceió

07/11/2011 - Gazetaweb

Homens e máquinas: foi esse o aparato da chegada, neste domingo (6), da terceira composição do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) a Maceió. Segundo a Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU), o trem que chegou à Estação Central de Maceió vai passar por ajustes antes de entrar em operação. A primeira viagem dessa composição está prevista para o fim deste mês.

O superintendente da CBTU, Marcelo Aguiar, explica que cada composição é composta por três partes, chamadas de carros. E que a mais nova composição do VLT foi a última a chegar este ano em Maceió. As outras cinco composições chegarão à capital alagoana no próximo ano. No período de janeiro a junho.

“Esta composição é um trem isolado. Agora são nove carros de passageiros, três carros em cada uma das três composições. Até junho teremos oito composições. Elas começam a chegar em janeiro”, declarou o superintendente.

Um caminhão que se desloca pelos trilhos ajudou os funcionários da CBTU a reunir as três partes componentes da terceira composição do VLT no pátio da Estação Central de Maceió. De acordo com o gerente operacional da CBTU, Flávio Tenório, o caminhão rodo ferroviário, que também funciona na pista, iça até 40 toneladas. “O caminhão faz parte da modernização do sistema. Com ele, é possível podar árvores, carregar trilhos e dormentes”, disse o engenheiro.

Segundo Flávio Tenório, com a chegada da composição, o número de viagens passa de 14 para 22. “Serão mais quatro viagens Maceió /Satuba e mais quatro viagens Satuba/Maceió”, esclareceu o gerente operacional.

“A oferta de viagens aumenta a partir do final do mês”, complementou o superintendente Marcelo Aguiar. Ele ainda explicou que mesmo com um número maior de composições do VLT, as atividades dos trens antigos não serão interrompidas. “Os números de viagens desses trens serão reduzidos. Mas eles não vão parar, até porque são um grande auxílio para quem precisa carregar cargas, como animais vivos. A proposta é melhorar as condições desses trens de carga”, disse o superintendente.

O Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) entrou em operação no dia 10 de outubro. O trem parte da Estação Central de Maceió, no centro da capital alagoana com destino a Satuba. A viagem custa R$ 0,50.

Ceará abre propostas de obras civis do VLT

07/11/2011 - Diário do Nordeste

O Governo do Estado abre nesta terça-feira (8) a licitação para as obras civis do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) entre a Parangaba e o Mucuripe, em Fortaleza. A intervenção é um ramal do Metrô de Fortaleza e tem em seu roteiro o Aeroporto Internacional Pinto Martins. O investimento é estimado em mais de R$ 200 milhões.

O ramal, em seu projeto, tem 11 estações e uma extensão total de 12,7 quilômetros - são 11,3 km em superfície e mais 1,4 km em elevado entre a Parangaba e a avenida Aguanambi. A obra é uma das principais intervenções do Ceará para a Copa do Mundo.

De acordo com a Secretaria da Infraestrutura (Seinfra), o ramal deve atravessar 22 bairros com uma área de abrangência de 505.162 habitantes e cerca de 90 mil passageiros diariamente. Tambem são contemplados pela via férrea o Porto do Mucuripe, o Terminal Rodoviário Engenheiro João Thomé e o Estádio Castelão.

Investimento superior a R$ 200 milhões

Um investimento de R$ 205,1 milhões é estimado para a obra. Nesta terça-feira as empresas interessadas em participar do processo devem entregar seus documentos e, também, as propostas de preço. Em data posterior as propostas serão abertas.

O Diário do Nordeste Online apurou que 36 empresas já estão qualificadas para participar do processo licitatório. O número de concorrentes pode ser inferior, pois as empresas podem compor consórcios.

Somente com a via permanente o investimento deve girar em torno de R$ 79 milhões, como apurou o Diário do Nordeste Online.

Obra deve ficar pronta em 2013

A licitação para as obras civis do ramal devem se estender até o fim do ano. Na prática as obras devem começar somente no início de 2012, com um prazo de 18 meses para a conclusão. As obras estariam prontas por volta da na metade de 2013 - ano da Copa das Confederações.

"Os serviços deverão ser executados e concluídos dentro o prazo de 18 (dezoito) meses, contados a partir da data de recebimento da primeira ordem de serviço", aponta o edital de licitação.

Ramal também tem viadutos ferroviários

Em seu projeto o ramal Parangaba/Mucuripe prevê, além das estações, viadutos ferroviários sobre as avenidas Raul Barbosa, Pontes Vieira, Antônio Sales e Dom Luiz.

Já as estações são localizadas em Parangaba, Montese, Vila União, Rodoviária, São João do Tauape, Pontes Vieira, Antônio Sales, Papicu, Mucuripe, Serviluz e Praia Mansa.

Ramal se integra com Linha Sul na Parangaba

Na Estação Parangaba o ramal deve se integrar com a Linha Sul do Metrô de Fortaleza - ora em execução. A Linha Sul, por sua vez, liga Pacatuba ao Centro de Fortaleza.

Caixa Econômica deve financiar o projeto

O ramal Parangaba/Mucuripe deve receber R$ 170 milhões por parte da caixa Econômica Federal. Outros R$ 35,1 milhões devem sair do tesouro estadual.

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Projeto do VLT não está concluído em Natal (RN)

02/11/2011 - Tribuna do Norte

Francisco Colombo, diretor-presidente da CBTU, prometeu o projeto

Por Roberto Lucena

A Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) prometeu um investimento de R$ 150 milhões para implantar o projeto do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) em Natal. A estrutura atual vai passar por obras de modernização e reestruturação para poder receber as novas máquinas. Atualmente, são quatro locomotivas porém, apenas duas estão funcionando. De acordo com o diretor-presidente da companhia, Francisco Colombo, a cidade será equipada com 15 novos trens capazes de transportar 50 mil passageiros. "Natal está com problemas no trânsito e não há outra solução senão o investimento no transporte público coletivo", disse. Apesar do anúncio, a verba não está assegurada e um estudo mais aprofundado, com metas de expansão na Região Metropolitana, será divulgado daqui há quinze dias.

Durante entrevista coletiva concedida na tarde de ontem, Francisco Colombo, que está à frente da CBTU há cinco meses,  explicou que o órgão pretende investir nas cinco cidades onde administra as linhas férreas - Recife/PE, Maceió/AL, Natal/RN, João Pessoa/PB e Belo Horizonte/MG. Na capital potiguar, Colombo participou de reuniões com prefeitos, secretário estaduais e a governadora Rosalba Ciarlini. Na próxima segunda-feira, o presidente irá ao Ministério das Cidades, em Brasília, para confirmar a liberação da verba necessária, bem como saber qual será a fonte do recurso. "Nós temos a promessa de receber esse valor. Não sei se será do Ministério [das Cidades] ou do PAC [Programa de Aceleração do Crescimento], mas o dinheiro virá. Isso é certeza", disse.

Assim que o valor for liberado, a implantação do VLT será iniciada de imediato e o prazo de conclusão é de 12 meses. Os trabalhos serão iniciados na linha Norte e, posteriormente, se estenderam para a linha Sul. "Estamos muito esperançosos com esse novo momento na CBTU. As conversas com os prefeitos e a governadora foram proveitosas e com certeza renderá bons frutos", disse o superintendente da CBTU em Natal, Erly Bastos.

O presidente da companhia prometeu também que, nos próximos quinze dias, será divulgado um estudo de ampliação do VLT para a Região Metropolitana. "Mas isso é um projeto que será estudado depois. Por enquanto, a prioridade é a implantação do VLT em Natal, com início na linha Norte", disse Colombo.

Memória

A sigla VLT já é bastante conhecida pelos  natalenses. Em maio de 2006, a CBTU apresentou o projeto de troca das locomotivas e vagões por equipamentos mais modernos e leves. O projeto, inicialmente orçado em R$ 162 milhões, nunca saiu do papel. A implantação do programa voltou à pauta de discussões dos gestores estaduais e municipais, com o anúncio de Natal como uma das cidades-sedes da Copa do Mundo de 2014.

Este ano, o projeto passou a ser responsabilidade do Governo do Estado, já que abrange outras cidades da Região Metropolitana, como Extremoz e São José do Mipibu.

Fonte: Tribunal do Norte

terça-feira, 1 de novembro de 2011

CBTU fará estudo de viabilidade técnica de ampliação do VLT para a Grande Natal

01/11/2011 - Tribuna do Norte

Presidente da CBTU, Francisco Colombo, comprometeu-se a apresentar estudo técnico para a ampliação do projeto de VLT

O presidente da Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU), Francisco Colombo, comprometeu-se ontem (31), durante audiência requerida pela deputada federal Fátima Bezerra (PT) na CBTU, em apresentar um estudo técnico para a ampliação do projeto de Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) para os demais municípios da Região Metropolitana de Natal (RMN).

O projeto original, orçado em R$ 136 milhões e apresentado pelo Governo do Estado ao Ministério dos Transportes, trata apenas da modernização da frota e recuperação da linha férrea e terminais de embarque e desembarque do trajeto que liga a Ribeira a Nordelândia, em Natal.

Fátima Bezerra se esforça para incluir Parnamirim, Ceará-Mirim, Extremoz, São José de Mipibu e Nísia Floresta no projeto.  Ela vem tratando do assunto em reuniões com a ministra Miriam Belchior (Planejamento) e Mário Negromonte (Cidades), além de participar de audiências públicas e promover seminário em Natal.

"Desde que eu entrei para a Companhia, Fátima militou para que esse VLT saísse do papel. Sou testemunha do empenho que ela tem feito por Natal e cidades vizinhas. Nós precisamos que vocês a ajudem nesse esforço", disse Colombo durante a reunião. "Nós nos comprometemos em fazer o estudo de vaibilidade e entregá-lo até o fim do ano".

Participaram também da audiência o superintendente da CBTU no Rio Grande do Norte, Erly Bastos, representantes das prefeituras de Ceará-Mirim, Extremoz, São José de Mipibu, São Gonçalo do Amarante e Parnamirim, o deputado estadual Fernando Mineiro (PT) e o vereador e presidente do Parlamento Comum da Região Metropolitana, George Câmara (PCdoB).

A ideia de Fátima Bezerra é, com o estudo de viabilidade em mãos, provocar novas audiências com Ministérios das Cidades e Planejamento e, com apoio dos prefeitos da RMN e Governo do Estado, pressionar o Governo Federal para liberar recursos e concretizar o projeto.

"A Região Metropolitana de Natal possui uma alta densidade populacional e uma malha viária saturada. A população que usa diariamente o que chamamos carinhosamente de ´trem do grude´  precisa de um transporte mais moderno.  Nós temos também que pensar a mobilidade urbana durante a Copa de 2014 e oferecer infraestrutura adequada para o uso do aeroporto de São Gonçalo do Amarante", argumentou Fátima Bezerra.

O Censo de 2010 mostrou que a população da Região Metropolitana de Natal cresceu 20,12% nos últimos dez anos - a população de Parnamirim mais que dobrou no período. "A ausência de uma intervenção de impacto potencializa a deteriorização da qualidade de vida dos cidadãos e contribui para uma redução do crescimento da economia local", argumentou a deputada federal.

Os parlamentares Mineiro e George Câmara ficaram de elaborar requerimento padrão de apoio ao pleito na Assembleia Legislativa e Câmaras Municipais da Grande Natal.

Fonte: Tribuna do Norte

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Metrofor: linha Parangaba-Mucuripe começa a entrar nos trilhos

12/10/2011 -

Somam R$ 205 milhões os investimentos que o Governo do Estado projetou para as obras civis de implantação da linha do Metrô de Fortaleza entre a Parangaba e o Mucuripe. E a licitação está marcada para 8 de novembro. A parcela maior de dinheiro embarcará numa estação da União – serão R$ 170 milhões originários da Caixa Econômica Federal. Os R$ 35 milhões restantes sairão dos cofres do Tesouro Estadual. Quem ganhar a parada, que está sob a coordenação da Secretaria da Infraestrutura, terá 18 meses para entregar o serviço pronto.

Palmo a palmo 

A nova linha metroviária terá 12,7 quilômetros, sendo 11,3 km de superfície e 1,4 km elevado. Incluirá nove estações, nos bairros da Parangaba, Montese, Vila União, Rodoviária, São João do Tauape, Pontes Vieira, Antonio Sales, Papicu e Mucuripe. O edital contempla questões ambientais, como a remoção de árvores; de serviços, como os de água, luz e telefone; e de trânsito, entre outras. 

Quem está na linha 

O Ramal Parangaba-Mucuripe será servido por Veículos Leves sobre Trilhos – os tais VLTs, que têm gerado polêmicas com famílias residentes em áreas que serão desapropriadas na região do Bairro Vila União. Vinte e dois bairros da cidade, nos quais há, segundo o Estado, 505.162 habitantes – cerca de 20% da população de Fortaleza – estão na rota dos trilhos e estruturas que serão implantados. 

Demolir para construir 

Há, porém, outros custos relativos à implantação do ramal Parangaba-Mucuripe. São os que bancarão a demolição e remoção de entulhos na faixa de domínio da via ferroviária. A licitação está agendada para o próximo dia 9. O teto das propostas, fixado pelo Governo, é de R$ 3.031.020,00. O prazo estabelecido para conclusão dos trabalhos é de 12 meses. O Metrofor estima uma demanda de 90 mil passageiros por dia para o ramal. A obra é considerada essencial para a mobilidade urbana em Fortaleza e para a Copa de 2014.

Fonte: Roberto Maciel 

Está na linha a licitação para o trem urbano Parangaba-Mucuripe

12/10/2011 - Diário do Nordeste

O Ramal Parangaba-Mucuripe será servido por Veículos Leves sobre Trilhos

"Somam R$ 205 milhões os investimentos que o Governo do Estado projetou para as obras civis de implantação da linha do Metrô de Fortaleza entre a Parangaba e o Mucuripe. E a licitação está marcada para 8 de novembro.

A parcela maior de dinheiro embarcará numa estação da União - serão R$ 170 milhões originários da Caixa Econômica Federal.

Os R$ 35 milhões restantes sairão dos cofres do Tesouro Estadual. Quem ganhar a parada, que está sob a coordenação da Secretaria da Infraestrutura, terá 18 meses para entregar o serviço pronto.




A nova linha metroviária terá 12,7 quilômetros, sendo 11,3 km de superfície e 1,4 km elevado.

Incluirá nove estações, nos bairros da Parangaba, Montese, Vila União, Rodoviária, São João do Tauape, Pontes Vieira, Antonio Sales, Papicu e Mucuripe.

O edital contempla questões ambientais, como a remoção de árvores; de serviços, como os de água, luz e telefone; e de trânsito, entre outras.

O Ramal Parangaba-Mucuripe será servido por Veículos Leves sobre Trilhos - os tais VLTs, que têm gerado polêmicas com famílias residentes em áreas que serão desapropriadas na região do Bairro Vila União.

Vinte e dois bairros da cidade, nos quais há, segundo o Estado, 505.162 habitantes - cerca de 20% da população de Fortaleza - estão na rota dos trilhos e estruturas que serão implantados.

Há, porém, outros custos relativos à implantação do ramal Parangaba-Mucuripe.

São os que bancarão a demolição e remoção de entulhos na faixa de domínio da via ferroviária.

A licitação está agendada para o próximo dia 9.

O teto das propostas, fixado pelo Governo, é de R$ 3.031.020,00.

O prazo estabelecido para conclusão dos trabalhos é de 12 meses.

O Metrofor estima uma demanda de 90 mil passageiros por dia para o ramal.

A obra é considerada essencial para a mobilidade urbana em Fortaleza e para a Copa de 2014."


Fonte: Diário do Nordeste

terça-feira, 11 de outubro de 2011

VLT em Maceió agrada passageiros em 1ª viagem

11/10/2011 - Revista Ferrovoária

A obra do VLT contou com investimento de R$ 174 milhões para a construção de 32 quilômetros de linha férrea e aquisição de vagões

As primeiras composições do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) começaram a operar nesta segunda-feira, dia 10, na capital alagoana. A primeira viagem, partindo da estação central, ocorreu em meio à presença de usuários e políticos. O percurso será Maceió/Satuba.

Na última semana, a Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) já havia informados que os dois VLTs em operação funcionarão simultaneamente às antigas locomotivas. No entanto, devido às condições das plataformas do Mutange, Sururu de Capote (Flexal) e Fernão Velho, o VLT não irá parar nessas estações. A previsão é que em novembro as plataformas dessas estações estejam em condições de operação de embarque e desembarque de passageiros.

A previsão é de que, até dezembro deste ano, todas as oito composições estejam funcionando. Cada uma delas terá três carros, com capacidade para transportar 562 passageiros. Anteriormente a CBTU atendia a 7.500 usuários de trens, número este que deve aumentar para 40 mil.

A obra do VLT contou com investimento de R$ 174 milhões para a construção de 32 quilômetros de linha férrea e aquisição de vagões. O projeto prevê trajeto cortando três cidades: Maceió, Rio Largo e Satuba. Na capital alagoana, o trajeto vai interligar pontos de tradicionais congestionamentos de trânsito, como o centro e os bairros Poço, Mangabeiras e sítio histórico de Jaraguá.

Fonte: Revista Ferroviária
 

VLT começa a operar em Maceió

10/10/2011 - CBTU

As primeiras composições do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) começaram a operar nesta segunda-feira, dia 10, na capital alagoana. A primeira viagem, partindo da estação central, ocorreu em meio à presença de usuários e políticos. O percurso será Maceió/Satuba.

Na última semana, a Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) já havia informados que os dois VLTs em operação funcionarão simultaneamente às antigas locomotivas. No entanto, devido às condições das plataformas do Mutange, Sururu de Capote (Flexal) e Fernão Velho, o VLT não irá parar nessas estações. A previsão é que em novembro as plataformas dessas estações estejam em condições de operação de embarque e desembarque de passageiros.

A previsão é de que, até dezembro deste ano, todas as oito composições estejam funcionando. Cada uma delas terá três carros, com capacidade para transportar 562 passageiros. Anteriormente a CBTU atendia a 7.500 usuários de trens, número este que deve aumentar para 40 mil.

A obra do VLT contou com investimento de R$ 174 milhões para a construção de 32 quilômetros de linha férrea e aquisição de vagões. O projeto prevê trajeto cortando três cidades: Maceió, Rio Largo e Satuba. Na capital alagoana, o trajeto vai interligar pontos de tradicionais congestionamentos de trânsito, como o centro e os bairros Poço, Mangabeiras e sítio histórico de Jaraguá.

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

VLT começa a operar em Maceió no dia 10 de outubro

05/10/2011 - O Jornal (AL)

Duas composições do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) começam a funcionar a partir da próxima segunda-feira (10) em Maceió. O trajeto será da capital – da estação principal da Companhia de Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) até Satuba ao preço de R$ 0,50 por viagem.

Três viagens serão feitas – de ida e volta – por dia. A primeira será às 7h30. Cada locomotiva tem a capacidade de transportar aproximadamente 500 pessoas por vez.

Só em novembro, de acordo com a previsão da CBTU, o VLT fará parada nas estações do Mutange, Sururu de Capote (Flexal) e Fernão Velho, tendo em vista que elas passam por reformas na estrutura física.

A estação de Rio Largo – destruída por conta da enchente do ano passado – segue em obras para recuperação de toda malha ferroviária.

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

Licitação de VLT do Ceará sai em novembro

06/10/2011 - G1

O Governo do Estado do Ceará divulgou nesta quarta-feira (6) a data para a abertura das propostas de obras civis para a licitação do tipo menor preço para construção do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), agendada para o dia 8 de novembro.

O VLT ligará o Bairros Parangaba ao Mucuripe e é uma das obras de mobilidade urbana prometida pelo Governo do Estado para a Copa do Mundo de 2014.

A proposta do governo estabelece o valor máximo da obra em R$ 205.196.002,24. A licitação é do tipo menor preço e vencerá a empresa que conseguir que oferecer o serviço no valor abaixo do proposto do governo.

De acordo com o Governo do Estado, o ramal ferroviário do VLT terá 12,7 quilômetros, sendo 11,3 quilômetro sobre superfície e 1,4 quilômetro em trilho elevado. A linha passará por 22 bairros de Fortaleza e a previsão é que a obra tenha início neste ano e seja concluída em 2013. O VLT deverá ser utilizado por 90 mil passageiros por dia, de acordo com o informações do Governo do Estado.

O VLT é uma das obras mais polêmicas para a Copa do Mundo no Ceará, já que cerca de 2.000 famílias terão de ser desapropriadas para dar local à obra. As famílias resistem à desapropriação.

O governo faz três propostas para famílias que poderão ser desapropriadas. Na primeira, caso o morador perca parte do imóvel, o governo deverá indenizar somente pelo espaço perdido. No segundo caso, em que o imóvel no valor de até R$ 40 mil deverá ser retirado, o morador receberá esse valor além de um apartamento quitado de 52 metros quadrados no Bairro José Walter. No terceiro caso, em imóveis acima de R$ 40 mil, o governo irá pagar o valor da avaliação do imóvel e a família receberá um apartamento com prestações de R$ 50.

quarta-feira, 5 de outubro de 2011

VLT começa a operar nesta segunda-feira

05/10/2011 -

O anúncio foi feito pela CBTU nesta quarta, 5

Escrito por  Ascom CBTU
 
A direção da Companhia Brasileira de Trens Urbanos – CBTU, em Maceió, anunciou hoje que o VLT entrará em operação comercial definitivamente partir da próxima segunda-feira, dia 10 de outubro.
A primeira viagem do VLT ocorrerá às 7 horas e 30 minutos e o novo Veículo Leve sobre Trilhos fará inicialmente seis viagens ao dia, sendo três de ida até a cidade de Satuba e três de volta até a estação central de Maceió.

Paralelamente, os trens antigos continuarão em operação, aumentando a demanda de passageiros com o advento do VLT. Vale salientar, que nesse primeiro mês devido às condições técnicas das plataformas do Mutange, Sururu de Capote (Flexal) e Fernão Velho, o VLT não irá parar nessas estações. A previsão, segundo a diretoria da empresa, é que em novembro as plataformas das citadas estações estejam em condições de operação de embarque e desembarque de passageiros

Os trabalhos desenvolvidos pela CBTU na antiga Feira do Passarinho, é que permitirão que os trens possam, a partir de segunda-feira, se deslocarem até a estação central de Maceió. Até sexta-feira estará implantada a nova malha ferroviária da Feira do Passarinho para a passagem dos trens, com as empresas continuando o trabalho de implantação da duplicação da linha e futuramente a construção da nova estação de transbordo do Mercado Público. No momento já foi feito o trabalho de terraplanagem do local e se trabalha ainda no sistema de saneamento de toda a área de atuação da CBTU.

A empresa também comunica a todos os usuários do VLT, que não será permitido o transporte de cargas de alimentos perecíveis nem tampouco de animais, que possam comprometer o bem-estar de todos os passageiros, que terão um trem da mais alta tecnologia e totalmente climatizado. Para isso, uma campanha junto aos usuários está sendo feita a partir de amanhã, quinta-feira, para alertar da necessidade de todos colaborarem para a conservação do VLT.

O superintendente da empresa, Marcelo Gomes, anunciou também que para o dia das Crianças, 12 de outubro, a CBTU fará uma programação especial que será oportunamente divulgada, onde transportará centenas de crianças para conhecer o mais moderno sistema de transporte de massa sobre trilhos.

Fonte: Primeira Edição
 

Recife deverá descartar VLT

04/10/2011 - Diário de Pernambuco

A Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU), através do Metrô do Recife (Metrorec), sugeriu à Secretaria das Cidades o Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) como alternativa ao Bus Rapid Transit (BRT) que será implantado no corredor exclusivo a ser construído na BR-101. A CBTU/Metrorec já vinha realizando estudos sobre a viabilidade do VLT no trecho entre o Terminal Integrado da Macaxeira e a estação de Cajueiro Seco, em Jaboatão dos Guararapes, e apresentou essas conclusões ao titular da pasta, Danilo Cabral. Apesar de ser um investimento mais caro, a principal vantagem do VLT sobre o BRT, segundo a CBTU, estaria na maior capacidade de transporte de passageiros: 150 mil, por dia, contra 110 mil do BRT.

 Os estudos feitos pela CBTU foram mostrados pelos metroviários e pela equipe técnica do Metrorec ao secretário Danilo Cabral na semana passada. Segundo o gerente de manutenção da CBTU/Metrorec, Bartolomeu Carvalho, a proposta seria implantar o VLT a partir do TI da Macaxeira, passando pelo Hospital das Clínicas, Universidade Federal e terminal do Barro até chegar a Cajueiro Seco. A frota utilizada seria de 13 VLTs, cada um com capacidade para 800 passageiros. “Quem mora em Boa Viagem e estuda na Federal, por exemplo, poderia pegar o metrô na Linha Sul e seguir até Cajueiro Seco para, de lá, concluir o trajeto no VLT. O mesmo para quem sai de Igarassu, Paulista e Abreu e Lima e quer ir para a Zona Sul. Esse pegaria o VLT integrando na Macaxeira. Essa solução melhoraria o trânsito não apenas na BR-101, como também na Avenida Recife”, ponderou.

O custo de implantação do VLT seria de R$ 890 milhões. Um valor bem superior ao BRT, que está estimado em R$ 480 milhões. No entanto, Carvalho argumenta. “O VLT é mais confortável, mais seguro e polui menos. Além disso, ele atenderia a demanda dos próximos 40 anos. É um transporte que tem sustentabilidade”.

Apesar de ver a proposta da CBTU com bons olhos, a secretaria das Cidades não cogita mudar o projeto do BRT, que já está pronto e em análise no Dnit. “Mesmo com capacidade de transporte menor, o BRT atende as necessidades da população num horizonte de até 20 anos. Hoje, ficou proibitivo pensar em investimentos mais caros que demorarão a dar um retorno por causa da crise do mercado internacional”, justificou o secretário executivo de Mobilidade Flávio Figueiredo.


Saiba mais

BRT (Bus Rapid Transit)

O valor para implantação é de R$ 480 milhões

Terá capacidade para transportar 110 mil passageiros/dia

O projeto foi pensado para atender a demanda futura de 15 a 20 anos

Se a demanda subir, terá que passar por novas obras para implantar outro modal
que suporte a quantidade e passageiros

VLT (Veículo Leve sobre Trilhos)

O valor para implantação seria de R$ 890 milhões

Teria capacidade para transportar 150 mil passageiros/dia

O projeto foi pensado para atender a demanda futura de 30 a 40 anos

Aumentando a demanda, não será preciso construir outra ferrovia, apenas aumentar o
número de composições

Semelhanças

Tanto o BRT quanto o VLT usariam um corredor exclusivo a ser construído no canteiro central
da BR-101 e teriam estações, assarelas, viadutos e elevados Nos dois sistemas, a passagem
é paga antes do embarque e os dois tipos de veículos têm ar-condicionado.

terça-feira, 27 de setembro de 2011

Obras do metrô de Sobral estão atrasadas

27/09/2011 - Diário do Nordeste

As obras do Metrô de Sobral, após seis meses de iniciadas, estão lentas. A promessa do prefeito Clodoveu Arruda é entregar o metrô, em seus dois ramais, dentro de um ano. As obras estão lentas no ramal já existente da Transnordestina. Ontem, apenas dois operários trabalhavam na estrutura metálica da Estação do Bairro Dom Expedito. Eles disseram que depois é que outros funcionários virão para fazer o acabamento.

O problema que existia na indenização de casas da Rua Jonh Sanford foi resolvido. Foi feita uma reestruturação e apenas duas casas serão demolidas. O restante ficará mesmo com a remodelação da via férrea.

A previsão inicial era que o metrô já estivesse funcionado, mas um grande atraso no processo de licitação adiou a entrega da obra para o ano que vem. Uma placa da obra avisa que o término está marcado para três de setembro de 2012, 18 meses depois de ter iniciado, em 4 de março de 2011.

O Metrô será operado pelos cinco VLTs que percorrerão com passagem a R$ 1,00 os 12,1 quilômetros dos dois ramais. Um deles, com 6,4 quilômetros, compartilha a linha de cargas já existente e hoje administrada pela Transnordestina Logística. A obra está mais atrasada neste ramal. A Transnordestina foi procurada, mas, até o fechamento desta edição, não deu retorno sobre o assunto.

O Metrô de Sobral tem investimento de R$ 66,6 milhões, com recursos oriundos do Ministério das Cidades e do Governo do Ceará, por meio da Secretaria de Infraestrutura e da Companhia Cearense de Transportes Metropolitanos (Metrofor).

A obra é tocada pelo consórcio Engexeta Engenharia/Bom Sinal Indústria e Comércio e MWH Engenharia e Projetos. "Vamos entregar no novo prazo previsto", garante o prefeito Veveu Arruda. Ele assegura que, "com o metrô, Sobral terá um transporte público integrado. Um passageiro poderá pegar um ônibus e fazer a integração com o metrô indo de uma ponta a outra da cidade apenas com uma passagem".

Dois dos cinco carros da empresa caririense Bom Tempo, de Barbalha, já estão em exposição em Sobral. A população até ironiza dizendo que "temos o trem, mas não temos a linha".

Veveu Arruda rebate afirmando que "os carros já chegaram para mostrar a seriedade da obra e dar mais visibilidade ao projeto para nós estruturante. Os veículos têm capacidade para 230 passageiros, velocidade máxima operacional de 60 quilômetros por hora, sendo que as composições medem 29 metros de comprimento cada", destaca. Segundo ele, "hoje temos um sistema coletivo de transporte frágil. Com o metrô vamos resolver isso".

O metrô vai trazer para Sobral, aposta Veveu Arruda, vários outros investimentos. E cita a consolidação do Polo Universitário, com duas universidades públicas (Universidade Estadual Vale do Acaraú e Universidade Federal do Ceará) e as faculdades particulares; o fortalecimento do Polo Industrial e a construção do Hospital Regional Norte. "Com isso, alinhamos desenvolvimento com sustentabilidade".

O auxiliar de escritório Everton Ribeiro Albuquerque não acredita que o Metrô esteja totalmente pronto no início de setembro do ano que vem. "Será mais uma obra que vão entregar inacabada, a exemplo do que aconteceu com o Parque de Exposições e de alguns postos de saúde", disse. Everton cita ainda as obras da Vila Olímpica Ciro Gomes, Policlínica e Hospital Regional "que vêm se arrastando há tempos".

Plano Diretor

O Metrô de Sobral surgiu a partir de premissas definidas no Plano Diretor do Município: aproveitamento da via ferroviária e a definição do vetor transportes como estruturador de desenvolvimento urbano. A linha férrea existe na paisagem sobralense desde o fim do século passado, mas hoje é usada somente para carga. Por muito tempo ela funcionou como barreira à expansão urbana. Hoje, ela contorna o Centro, ligando os bairros da Cohab 2, no extremo leste, ao Bairro do Sumaré, no oeste, e servirá para abrigar a Linha Sul.

A Linha Norte ligará o Polo Industrial da Grendene, localizada à margem da avenida - onde existia o antigo ramal ferroviário de Camocim, no Bairro da Expectativa, - ao Bairro Cohab 3, passando pelos bairros do Junco e Terrenos Novos. As duas linhas formam dois "us" invertidos, que se tangenciam numa estação de integração.

Dentro do projeto estão a remodelação de sete quilômetros de via permanente já existente da Transnordestina; a implantação de mais cinco quilômetros; a construção de 11 estações de passageiros; do complexo de manutenção, da administração e do centro de controle operacional; e a aquisição de cinco Veículos Leves sobre Trilhos (VLTs) de dois carros bidirecionais cada, com dupla cabine de comando, tração hidráulica e motorização a diesel.

Populoso

Será implantado o Ramal Grendene-Cohab III, com 5,7 quilômetros, que vai atender o bairro mais populoso de Sobral, Doutor José Euclides, e grandes polos geradores de viagens, como a Grendene e o Centro de Convenções. No trecho remodelado, serão instaladas seis estações (Sinhá Saboya-Cohab II, Dom Expedito, Boulevard do Arco, Coração de Jesus, Dom José e Sumaré).

O projeto do Metrô de Sobral, orçado em cerca de R$ 66,6, tem R$ 1,2 milhão investidos em projetos e supervisão; R$ 20 milhões em material rodante; R$ 2 milhões em desapropriações; e R$ 42 milhões na execução das obras.

Mais informações

Companhia Cearense de Transportes Metropolitanos (Metrofor)
Rua 24 de Maio, 60 - Centro - Fortaleza/ Telefone: (85) 3101.7100

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

 Notícias da Imprensa

« Voltar
'VLT não terá projeto alterado'

07/09/2011 - Diário do Nordeste

A despeito das reclamações das comunidades atingidas, o Governo do Estado não tem nenhuma pretensão de realizar modificações no projeto de construção do Veículo Leve Sobre Trilhos (VLT), ramal Parangaba-Mucuripe. E mais, os primeiros trabalhos na linha já devem ser iniciados em 12 de dezembro deste ano, conforme informou o presidente do Metrofor, Rômulo Fortes. Não haverá modificações. Já estudamos todas as alternativas possíveis para o projeto. Não temos dúvidas de que essa é a melhor opção, garantiu.

Na semana que vem, deverá ser publicada no Diário Oficial a decisão do Coema (Conselho Estadual de Meio Ambiente) de aprovar o EIA/Rima (Estudo e Relatório de Impacto Ambiental), com a liberação do licenciamento prévio do projeto. Após isso, conforme Fortes, o Governo irá à comunidade fornecer mais orientações e sanar dúvidas sobre o VLT. Mas o presidente do Metrofor alerta que as ações de desapropriações não devem tardar a terem início. Ele explica, entretanto, que o Governo do Estado dará toda a assistência às pessoas que serão impactadas pelas obras.

Compensação

Quem tiver casa avaliada em menos de R$ 40 mil, além de indenização, vai receber um apartamento dentro do programa Minha Casa, Minha Vida (MCMV). Os proprietários de imóveis avaliados em valor superior receberão o dinheiro da desapropriação e também serão beneficiados pelo MCMV, mas arcarão com as parcelas da iniciativa do Governo Federal.

Essa ação tenta mitigar os impactos das expropriações na comunidade. Ninguém quer sair. O proprietário de um imóvel atingido sempre quer que a gente estude outra locação, mas qualquer modificação que ocorra viria pegar ainda mais pessoas. Não tem saída. Cabe a nós elaborarmos a melhor condição técnica, uma que traga menos impactos. Não tem como fazer sem atingir ninguém, afirma.

Moradores temerosos

Enquanto esse imbróglio é discutido, no fim deste ano o Estado deve começar a atuar em algumas linhas de frente, para a consolidação do VLT. A ideia é dar logo o pontapé inicial aos trabalhos nas estações de Parangaba e Papicu. Na Comunidade do Trilho, o cenário é de temor. Os moradores não sabem o que deve acontecer, e o medo é que sejam removidos para o bairro José Walter, distante das raízes sociais e culturais. Dizem que os apartamentos são no Anel Viário, em um matagal. Lá, vão construir apartamentos de 40 m², sendo que tem imóveis aqui em que moram três ou quatro famílias, destaca o motorista Márcio Araújo Sales, integrante do Movimento de Luta em Defesa da Moradia (MLDM).

Idosos sofrem

Na região, os idosos são os que mais sofrem com a falta de informação. Os moradores garantem que alguns deles estão ficando doentes, por conta da ansiedade, reflexo de outras desapropriações. Já tivemos outra remoção, para a construção da Via Expressa, que traumatizou. Vivemos em um campo de batalha. A gente não foi escutado, até hoje. Temos nossas vidas, nossos projetos, nossa identidade, desabafa Márcio. A esperança, agora, para Maria do Rosário Alcântara, também do MLDM, é o apoio dos ministérios públicos Estadual e Federal, que prometeram recorrer contra a aprovação do EIA/Rima.

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Notícias
VLT de Fortaleza recebe licença ambiental

Conselho de meio ambiente do Ceará votou pela liberação de licença para construção do ramal



Próximo passo do governo será negociar desapropriações para o VLT (crédito: Governo do Estado do Ceará)
ampliar
Tamanho da letra
Da redação - São Paulo
postado em 02/09/2011 13:21 h
atualizado em 02/09/2011 13:44 h
O Conselho Estadual do Meio Ambiente do estado do Ceará (Coema) aprovou, na manhã desta sexta-feira (2), licença prévia para viabilizar a construção do VLT (Veículo Leve sobre Trilhos) em Fortaleza. O modal, que ligará Parangaba a Mucuripe, é a principal obra de mobilidade urbana do Ceará para a Copa de 2014.

A liberação foi votada durante reunião na Procuradoria Geral do Estado e teve 17 votos a favor, seis abstenções e apenas um contra. Agora, a Secretaria de Infraestrutura do Estado (Seinfra) pode oficializar a licença para instalação da obra antes de desapropriar os imóveis do local. 

A construção do VLT em Fortaleza já esbarrou em uma série de problemas. Em julho, o Ministério Público chegou a suspender a fase de desapropriação alegando ausência da licença ambiental. Depois, o governo estadual desistiu de construir o ramal que ligaria o VLT ao estádio Castelão em tempo hábil para a Copa.

De acordo com a Matriz de Responsabilidades, firmada em janeiro de 2010, a desapropriação deveria ter começado em julho do ano passado, e as obras, de fato, em janeiro deste ano.

domingo, 21 de agosto de 2011





Linha Parangaba- Castelão do VLT é cancelada
Publicado: domingo, 21 de agosto de 2011
Governo do Estado corre contra o tempo para tocar as obras do Veículo Leve sobre Trilhos Parangaba-Mucuripe .

Por Diego Borges

À medida que a Copa do Mundo de 2014 vai se aproximando, mais obras de mobilidade urbana na Capital vão sendo deixadas para trás. Após a Prefeitura de Fortaleza desistir de alargar as avenidas Raul Barbosa, Dedé Brasil e Paulino Rocha; agora, é o Governo do Estado que abre mão de construir o ramal do VLT (Veículo Leve sobre Trilhos) que sairia da Parangaba rumo ao Castelão. Durante o Mundial, os torcedores que assistirão aos jogos e que estiverem utilizando a linha Parangaba-Mucuripe do VLT, ainda a ser construída, precisarão desembarcar na futura estação do Montese, ou na própria Parangaba, e utilizar um outro meio de transporte, como ônibus ou táxi, para chegar ao estádio. A população que habita as imediações da arena esportiva, em bairros como Dias Macêdo, Passaré e Serrinha, continuará a fazer o trecho através de coletivos.

Justificativa

A informação foi confirmada pela Secretaria da Infraestrutura do Estado (Seinfra), a qual justificou que o ramal, que previa uma estação ao lado da arena esportiva, não será mais viabilizado porque estudos realizados pelo Governo indicaram que não haveriam usuários suficientes para manter o trecho em funcionamento, após o evento.

Cidade parada

No entendimento da engenheira civil Nadja Dutra, também chefe do Departamento de Engenharia de Transportes da Universidade Federal do Ceará (UFC), o fato de a linha não ser mais construída poderia até não ter tanto impacto caso os outros projetos idealizados para dar mais fluidez ao trânsito de Fortaleza saíssem do papel. Como boa parte das obras de mobilidade urbana ainda seguem inertes, a preocupação é que possa ocorrer em Fortaleza o que houve no Rio de Janeiro durante o Pan-Americano de 2007, com a cidade parando para que as pessoas que estavam se dirigindo ao evento esportivo pudessem se locomover.

"As obras de mobilidade são essenciais não só devido ao Castelão, mas para a cidade como um todo. Se Fortaleza tivesse fluidez, esse VLT seria um detalhe. Quem assistirá aos jogos da Copa, pode utilizar táxi, mas o ideal é que possam usar o transporte de massa", opinou a especialista.

Convergência

Os visitantes que se hospedarão nos hotéis da Av. Beira Mar terão mais um obstáculo a transpor até chegar ao Estádio, que muito mais que sediar jogos de futebol, será uma arena multiuso, de grande apelo turístico, conforme observa Vitório Rodrigues Ferreira, executivo na área de hotelaria.

Segundo explica, nas grandes capitais do mundo, todo o sistema de transporte converge para pontos como o Castelão, e é conectado ainda com a hotelaria e outros serviços.

"Vai ser uma perda. Em cidades como Atlanta (nos Estados Unidos), você sai do aeroporto e já pode pegar um metrô em direção aos principais pontos. Na Bélgica, também é assim. O Castelão não será voltado apenas para o futebol, mas para uma série de atividades que possuem apelo turístico. Com o VLT, as pessoas evitariam o trânsito e o transtorno de procurar vaga para estacionar seus veículos", pondera. Agora, só resta ao Governo acelerar o passo para tocar as obras do ramal Parangaba-Mucuripe, que terá cerca de 13 quilômetros (até o Castelão, seriam mais 7 km) e está orçado em R$ 265,50 milhões.

Próximo passo

No momento, o Estado prepara-se para dar início às desapropriações em alguns bairros que serão cortados pelo VLT, o que deve ocorrer tão logo seja concedida a Licença Prévia do projeto pela Superintendência Estadual do Meio Ambiente (Semace). Quando estiver de posse do documento, será feita a liberação de R$ 170 milhões, pela Caixa Econômica, para o intento.

sábado, 20 de agosto de 2011

Ceará desiste de VLT até estádio da Copa

Ramal Parangaba-Castelão seria ocioso após a Copa de 2014, segundo estudo


Tamanho da letra
Da redação
20/08/2011 - Portal 2014

O governo do estado do Ceará não vai mais construir o ramal do VLT (Veículo Leve sobre Trilhos) que ligaria o bairro de Parangaba ao estadio Castelão, anunciou hoje o jornal "Diário do ordeste". Assim, na Copa de 2014, os torcedores que utilizarem a linha Parangaba-Mucuripe do VLT (ainda a ser construída) precisarão desembarcar na futura estação do Montese, ou na própria Parangaba, e tomar outro meio de transporte, como ônibus ou táxi, para chegar ao estádio. Os moradores dos bairros próximos à arena esportiva continuarão a fazer o trecho por meio de ônibus.

A Secretaria da Infraestrutura do Estado (Seinfra), justificou que estudos realizados indicaram que não haveriam usuários suficientes para manter o trecho em funcionamento, após a Copa.

terça-feira, 9 de agosto de 2011

Com Desocupação da Feira do Passarinho, CBTU Retomará as Obras de Implantação do VLT em Maceió

09/08/11 - CBTU

Chega ao fim o impasse para continuação das obras de implantação do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) em Maceió. Em grande operação, que envolveu a Polícia Federal, Polícia Militar, BOPE, Corpo de Bombeiros, Agentes da Prefeitura de Maceió e a CBTU, a mais famosa feira da Capital, a Feira do Passarinho, foi desocupada neste domingo, dia 07/08/2011. Toda a operação foi acompanhada pela Comissão de Direitos Humanos da OAB. Os feirantes foram deslocados para as barracas provisórias, construídas pela CBTU, que terá um prazo de até 120 dias para a construção dos 88 boxes permanentes. Com a desocupação, as obras do VLT deverão ser retomadas a partir desta segunda-feira. O projeto de implantação do VLT está orçado em R$ 171 milhões.

Chegam vagões do Metrô de Sobral

09/08/2011 - Diario do Nordeste

O Metrô de Sobral será operado com cinco veículos leves sobre trilhos. O investimento é de cerca de R$ 70 mi

Dois vagões do metrô chegaram a esta cidade vindos de Barbalha, na região do Cariri, onde são montados. Na rotatória da Av. Dr. José Euclides com Av. Pimentel Gomes, no bairro Coração de Jesus, curiosidade. Agora esses dois vagões ficarão expostos na rotatória que dá acesso à Fábrica da Grendene até a conclusão da obra, prevista para o fim de 2012.

Um dos que observava os vagões com mais entusiasmo era o pintor Francisco Nascimento. "Muito bonito e será de grande serventia. Para ir aos bairros mais distantes será uma mão na roda". Ao lado, o amigo Francisco Elder também ansiava pelo término da obra. "Vou deixar a bicicleta em casa quando o percurso for maior", comemorava.

Há duas semanas, técnicos da Companhia Cearense de Transportes Metropolitanos (Metrofor) visitaram Sobral e fizeram inspeção onde verificaram o andamento da obra. Foi constatado que seis das 11 estações do empreendimento começaram a ser edificadas. Para Fernando Mota, ouvidor do Metrofor, depois de 20 anos a revitalização do transporte ferroviário no Ceará se concretiza com o metrô de Sobral. "Para atender cidades de médio porte o VLT é ideal. Depois do Cariri, Sobral vai ser beneficiada".

Será operado com cinco veículos leves sobre trilhos. O empreendimento terá um investimento de cerca de R$ 70 milhões e vai operar em 12Km de extensão com dois ramais. Um deles, com 6,4Km, compartilha a linha de cargas já existente e hoje administrada pela Transnordestina Logística. Também será implantado o Ramal Grendene-Cohab III, com 5,7Km, que vai atender o bairro mais populoso de Sobral, Dr. José Euclides, e grandes polos geradores de viagens, como a Grendene e o Centro de Convenções.

No trecho remodelado, serão instaladas seis estações (Sinhá Saboya-Cohab II, Dom Expedito, Boulevard do Arco, Coração de Jesus, Dom José e Sumaré). Já foram executados a fundação, pilares e plataforma da estação Cohab II e teve início a montagem de sua estrutura metálica. A escavação da fundação da estação Dom José foi finalizada. Na Dom Expedito, foram concluídos o aterro, as fundações, os pilares e está sendo executada a plataforma. Na estação Sumaré, estão concluídos a fundação, os pilares e a plataforma.

segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Ambulantes são retirados e barracas demolidas na Feira do Passarinho

07/08/2011 - Alagoas 24 Horas

Operação desocupa Feira do Passarinho para continuação dos obras de implantação do VLT

Chega ao fim o impasse para continuação das obras de implantação do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) em Maceió. Em grande operação - que envolve polícias Federal e Militar e Prefeitura de Maceió -, a mais famosa feira da Capital, a Feira do Passarinho, começa a ser desocupada neste domingo, dia 7.

A desocupação programada conta com um forte aparato policial de militares do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope), Polícia Federal e guardas municipais. Além disso, o trabalho está sendo acompanhado pelo presidente da Comissão de Direitos Humanos da OAB/AL, Gilberto Irineu.

Técnicos da Superintendência Municipal de Convívio Urbano (SMCCU) retiram os pertences dos comerciantes que ainda resistiam no local e, em seguida, tratores demolem a estrutura - muitas delas construídas há mais de 20 anos.

A desocupação é acompanhada por dezenas de comerciantes, mas não há registro de tumultuo.

Ao todo, 89 feirantes ainda resistiam à desocupação. A resistência era em decorrência dos feirantes não terem recebido o novo espaço para comercialização dos seus produtos.

De acordo com o superintendente de Controle e Convívio Urbano, Galvaci de Assis, os feirantes deverão num prazo de 120 dias já estarem instalados em novo espaço. O cumprimento dos prazos deverá ser acompanhado pelo Ministério Público Estadual depois de um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) definido entre Prefeitura e CBTU (Companhia Brasileira de Três Urbanos), responsável pela obra.

Com desocupação, as obras do VLT deverão ser retomadas a partir desta segunda-feira.

A permanência destes 89 comerciantes era considerada o principal impasse para o atraso da obra, parada há meses. O projeto de implantação do VLT está orçado em R$ 171 milhões.

Flávia Duarte - Alagoas24Horas | 08h07, 07 de Agosto de 2011 | atualizada às 8h26

Galeria de Imagens
http://www.alagoas24horas.com.br/conteudo/?vEditoria=Macei%F3&vCod=109190

sábado, 6 de agosto de 2011

Primeiro VLT já está em Sobral e ficará em exposição

06/08/2011 - Metrofor

O primeiro VLT ficará exposto até que o Metrô de Sobral seja concluído.



O primeiro Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) do Metrô de Sobral já chegou à cidade. O equipamento vai ficar em exposição nas imediações da rotatória da Av. Dr. José Euclides com Av. Pimentel Gomes, no bairro Coração de Jesus. A iniciativa da Companhia Cearense de Transportes Metropolitanos – Metrofor é permitir que a população conheça de perto o equipamento que deve começar a operar em 2012.

O VLT faz parte de um conjunto de cinco composições fabricadas pela empresa Bom Sinal, que tem sede em Barbalha, na Região do Cariri. O Governo do Ceará investiu na compra dos equipamentos cerca de R$ 22,4 milhões. Cada VLT é formado por dois carros, tem movimentação bidirecional e capacidade de transporte de 358 passageiros.

O primeiro VLT ficará exposto até que o Metrô de Sobral seja concluído. A obra teve início em março deste ano. O Metrô de Sobral terá 12,18 quilômetros de extensão com dois ramais e onze estações. Um ramal, com extensão de 6,4 quilômetros, compartilha a linha de cargas já existente e hoje administrada pela Transnordestina Logística. Também será implantado o Ramal Grendene-Cohab III, com 5,7 quilômetros, que vai atender o bairro mais populoso de Sobral, Dr. José Euclides, e grandes polos geradores de viagens, como a Grendene e o Centro de Convenções. Os dois ramais formam dois “us” invertidos, que se tangenciam numa estação de integração.

O Metrô de Sobral é mais uma iniciativa do Governo do Ceará de requalificar o transporte ferroviário de passageiros no interior do Estado e de estruturar as cidades de médio porte, aliando investimentos públicos à melhoria da qualidade de vida da população destes municípios. O empreendimento terá um investimento total de R$ 70,1 milhões.

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Governo federal prefere uso de BRT na Paralela

01/08/2011 - Correio 24 Horas, Lais Vita

Estado da Bahia vai pedir verba ao governo federal para construir metrô


O governo do estado vai ter que rever os seus planos de construir um metrô na avenida Paralela até a Copa do Mundo de 2014. É que o ministro das Cidades, Mário Negromonte,  afirmou que a orientação da presidente Dilma Rousseff é de não mudar o planejamento de transporte das cidades-sede da Copa do Mundo.

“A orientação da presidente (Dilma Rousseff) é de que a Matriz de Responsabilidade não seja alterada. Já existe a proposta aprovada para Salvador que é o BRT”, afirmou Negromonte ao CORREIO.

No ano passado, em Matriz de Responsabilidade assinada com o governo federal, Salvador previu a construção de um corredor estruturante de BRT (Transporte de ônibus rápido, pela sigla em inglês), com extensão de 19 quilômetros, ligando o aeroporto ao Acesso Norte.

No dia 21 de  junho, porém, depois de analisar projetos apresentados por sete empresas, o governo do estado anunciou que abriria licitação para construir um transporte sobre trilhos ligando os dois pontos, combinado com linhas de BRT em vias alimentadoras, transversais à Paralela. A ideia é apresentar o projeto ao governo federal e conseguir verbas da Caixa Econômica.

“Até agora não recebemos proposta nenhuma do Governo do Estado da Bahia. Existe a demora e, inclusive, estamos inquietos com esse atraso”, afirmou Negromonte. “Se o governo pretende modificar, precisa acelerar a apresentação da proposta e convencer os técnicos do grupo gestor do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) que o sistema vai atender realmente a demanda. Mas os fatores preço e prazo são os mais importantes porque devem estar dentro dos limites”, disse.

Surpresa
O secretário estadual do Planejamento, Zézeu Ribeiro, não quis comentar o assunto. O secretário municipal da Casa Civil, João Leão, disse  que vai se reunir com o ministro esta semana. “Na próxima terça-feira (amanhã), estarei em Brasília, com o ministro Mário Negromonte e com o presidente da Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU), Francisco Colombo”, disse. “Vamos sentar pra conversar e saber qual a opinião do ministro sobre o assunto”, completou.

Acordo
O projeto acordado entre prefeitura, governo do estado e governo federal em janeiro do ano passado prevê 27 estações e quatro terminais nos 19 quilômetros. O investimento seria de R$ 567,7 milhões, sendo R$ 541,8  milhões financiados pela Caixa, através do PAC da Copa, como aparece no site do Ministério dos Esportes. O novo projeto de sistema misto apresentado em junho deste ano tem previsão de custo de R$ 3 bilhões e a promessa de conclusão em dezembro de 2013.

A prefeitura chegou a defender que, ao menos até a Copa, a melhor solução seria asfaltar as laterais do canteiro da avenida Paralela e implantar corredores apenas de BRT. “Depois, com mais calma, a infraestrutura seria aproveitada para a implantação do metrô”,  afirmou João Leão, na época. “Na verdade, o meio mais eficiente seria mesmo o metrô na cidade toda, mas tem que ter dinheiro pra isso. Temos que nos equilibrar entre o ideal e o possível”.

Em entrevista ao CORREIO publicada ontem, o governador Jaques Wagner comentou o impasse. “Não tenho paixão nem pelo trilho, nem pelo pneu. Tenho paixão pela melhor solução, que deve olhar para 20, 25 anos à frente, e possa superar um problema de todos os baianos, ricos e pobres”, afirmou.

terça-feira, 26 de julho de 2011

Audiência na AL sobre o ramal de VLT Parangaba-Mucuripe
Publicado: terça-feira, 26 de julho de 2011
Lauriberto Braga descreve para O Estado o que aconteceu e ficou acordado no encontro promovido pela Assembleia Legislativa do Ceará entre os setores envolvidos na construção do ramal de Veículos Leves Sobre Trilhos.


Por  Lauriberto Braga

"A audiência pública sobre o projeto do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) do ramal Parangaba-Mucuripe às comunidades do entorno da obra foi realizada, no plenário da Assembleia Legislativa, local escolhido, dentre outras questões, pela proximidade com as comunidades interessadas no projeto.

A audiência, presidida pelo presidente do Conselho de Política e Gestão do Meio Ambiente, Paulo Henrique Lustosa, com a secretaria do titular da Semace, Ricardo Araújo, é um requisito para serem consentidas as licenças prévias e de instalação da obra.

Entre os pontos de maior dúvida, postos durante a apresentação, estão o valor de avaliação das moradias e o prazo para uma possível desapropriação, uma vez que nem todas as residências elencadas no projeto do VLT Parangaba-Mucuripe serão desapropriadas. Atendendo a uma solicitação do Ministério Público Federal, medições e avaliações só serão realizados com as devidas licenças ambientais.

Também ficou acordado que a Semace coloque como condicionante para a emissão da licença prévia que o Estado, por meio da Seinfra, ouça as comunidades trecho a trecho, para encontrar a melhor solução a cada uma delas.

Estiveram presentes na audiência moradores de alguns dos 22 bairros por onde passará o VLT, de integrantes do Ministério Público Federal, Defensoria Pública da União, Seinfra, Metrô de Fortaleza, Secretaria Especial da Copa, Procuradoria Geral do Estado, além de políticos. Agora, todos os questionamentos e observações realizados no Estudo de Impacto Ambiental/Relatório de Impacto Ambiental apresentados durante a audiência serão analisados por uma equipe da Semace.

A análise desta equipe, por sua vez, será apresentada em uma audiência no Conselho Estadual do Meio Ambiente (Coema), que poderá sugerir alterações aos estudos apresentados. Os VLTs são para Copa 2014.

• Copa - O ramal Parangaba–Mucuripe será uma das grandes obras estruturantes no conceito de mobilidade urbana em Fortaleza para a Copa de 2014.

• 12,7 - O ramal vai ser operado com VLTs e fará a conexão ferroviária de 12,7 quilômetros entre a Estação Parangaba e o Porto do Mucuripe. Serão 11,3 km em superfície e 1,4 km em elevado.

• Remodelação - A obra visa à remodelação do ramal ferroviário Parangaba-Mucuripe, atualmente utilizado para transporte de carga, objetivando a utilização do mesmo para transporte de passageiros.

• 22 - O Ramal Parangaba Mucuripe passará por 22 bairros da capital e beneficiará 90 mil passageiros/dia.

• 2013 - A previsão é que a obra tenha início no segundo semestre deste ano e seja concluída em 2013.

• Seis - Seis Veículos Leves sobre Trilhos (VLTs) fabricados pela Bom Sinal, no Cariri, sertão cearense, conduzirão os passageiros.

• Diesel - Movidos a diesel, os VLTs possuem ar-condicionado, sendo mais confortáveis que os antigos trens.

• 200 milhões - Estão previstos investimentos de R$ 200 milhões.

• BNDES - Sendo R$ 161,5 milhões do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

• Estado - E R$ 38,5 milhões de recursos do tesouro estadual, sem contar as desapropriações.

Fonte: Direito CE
 

segunda-feira, 25 de julho de 2011

Seis estações do Metrô de Sobral (CE) começam a ser edificadas

25/07/2011 - Metrofor

O Metrô de Sobral terá 12,18 quilômetros de extensão e terá dois ramais.

Após cinco meses do início da obra, a implantação do Metrô de Sobral avança. Em visita de inspeção realizada esta semana, técnicos da Companhia Cearense de Transportes Metropolitanos – Metrofor verificaram o andamento da obra. Seis das 11 estações do empreendimento começaram a ser edificadas. A previsão é que a obra seja concluída no final de 2012.

O sistema vai ser operado com veículos leves sobre trilhos (VLTs) aproveitando parte da malha ferroviária já existente. O empreendimento vai estruturar o sistema de transporte urbano da cidade de Sobral, polo de desenvolvimento da Região Norte, o que vai melhor a qualidade de vida da população residente e de seus visitantes.

O Metrô de Sobral terá 12,18 quilômetros de extensão e terá dois ramais. Um deles, com extensão de 6,4 quilômetros, compartilha a linha de cargas já existente e hoje administrada pela Transnordestina Logística. Também será implantado o Ramal Grendene-Cohab III, com 5,7 quilômetros, que vai atender o bairro mais populoso de Sobral, Dr. José Euclides, e grandes polos geradores de viagens, como a Grendene e o Centro de Convenções. Os dois ramais formam dois “us” invertidos, que se tangenciam numa estação de integração.

No trecho remodelado, serão instaladas seis estações (Sinhá Saboya-Cohab II, Dom Expedito, Boulevard do Arco, Coração de Jesus, Dom José e Sumaré). Já foram executados a fundação, os pilares e a plataforma da estação Cohab II e teve início a montagem de sua estrutura metálica. A escavação da fundação da estação Dom José também foi finalizada. Na Dom Expedito, foram concluídos o aterro, as fundações, os pilares e está sendo executada a plataforma. Na estação Sumaré, estão também concluídos a fundação, os pilares e a plataforma.

Na linha a ser implantada, serão cinco estações (Grendene, Junco, José Euclides, Alto da Brasília e Cohab III). Na estação Grendene, estão finalizados as fundações, os pilares e a plataforma. Foi iniciada a montagem da estrutura metálica. Na estação Alto da Brasília, fundações e pilares foram concluídos. Está sendo construída a plataforma.

O Metrô de Sobral será operado com cinco veículos leves sobre trilhos. O projeto surgiu como uma necessidade do Governo do Estado de estruturar as cidades de médio porte do Estado do Ceará, aliando investimentos públicos à melhoria da qualidade destes municípios. O empreendimento terá um investimento de cerca de R$ 70 milhões.

Fonte: Assessoria de imprensa do Metrô de Fortaleza

sexta-feira, 22 de julho de 2011

Ministério Público pede suspensão de desapropriação de famílias do CE

20/07/2011 - G1

As famílias serão desapropriadas para receber obras para a Copa de 2014.
Segundo denúncia do órgão, indenizações do governo são 'irrisórias'.

O Ministério Público Federal no Ceará pediu nesta quarta-feira (20) a suspensão das desapropriações de moradias em áreas onde será instalado o Veículo Leve sobre Trilho (VLT). O trem é uma das obras da Copa 2014, que visa melhorar a mobilidade urbana no entorno do estádio de futebol Castelão.

De acordo com o procurador da República, Alessander Sales, as atividades de levantamento de valores de indenizações, realização de acordos administrativos e de pagamentos agendados devem ocorrer somente após a expedição do licenciamento ambiental nos bairros Parangaba e Mucuripe, onde funcionará a linha do VLT. O poder executivo municipal, responsável pela desapropriação das áreas, afirma que a indenização está sendo paga conforme avaliações previstas em lei de desapropriação.

O procurador Alessander Sales diz que as denúincias partiram dos moradores das regiões que sofrerão desapropriação. "Os moradores nos procuraram citando irregularidades e nós constatamos os fatos e acionamos a Justiça", diz Sales. O procurador diz também que os preços adequados a indenizações só devem ser analisados após a aquisição da licença ambiental.

O procurador pede também para que a Justiça Federal julgue a necessidade do repasse da Caixa Econômica Federal no valor de R$ 170 milhões para execução de obras e serviços para a Copa do Mundo de Futebol. Caso a Justiça aceite o pedido, o estado ficará com a verba congelada até ter expedida a licença ambiental.

Segundo o Ministério Público, pessoas que serão desapropriadas denunciam que o Governo está pagando valores considerados irrisórios, impedindo que os desapropriados adquiram outra moradia digna.

Ainda segundo a denúncia, o Ministério Público teria comprovação de que a desapropriação da região está ocorrendo de forma prematura, sem o licenciamento ambiental exigido. Isso levou ao requerimento da anulação de atos praticados em desacordo com a lei ambiental, segundo a denúncia.

Fonte: http://g1.globo.com/ceara/noticia/20...ias-do-ce.html

segunda-feira, 18 de julho de 2011

12/07/11 - CBTU

CBTU-Maceió prepara plano de sinalização para o VLT

A CBTU-Maceió começou a isolar a via férrea do VLT com grades de material galvanizado. Assim, evita-se que pessoas não autorizadas se arrisquem atravessando a rua passando pelos trilhos.

A empresa providenciou a limpeza das margens da via férrea, a troca de dormentes por modelos novos e a sinalização se encontra em fase de implantação. Os últimos preparativos para a circulação do VLT estão sendo realizados, tais como as sinalizações sonoras e luminosas. A sinalização será toda automatizada, com o próprio trem acionando as cancelas.

A CBTU-Maceió está fazendo o trabalho da via e, em paralelo, está sendo feito um estudo para saber que tipo de cancela será utilizada em cada passagem de nível.

Modelo de transporte a ser implantado em Salvador gera polêmica

18/07/2011 - G1 BA

Autoridades anunciaram R$ 570 milhões para obras de mobilidade urbana. Impasse de opiniões entre empresários e governo gera polêmica.

Em agosto de 2010, Luis Inácio Lula da Silva, então presidente da República, e o prefeito de Salvador, João Henrique, anunciaram que R$ 570 milhões seriam aplicados em obras para a mobilidade urbana em Salvador.

No mesmo dia, o ministro do turismo, Orlando Silva, o governador Jaques Wagner e o prefeito João Henrique, assinaram um documento que garantia o compromisso de obras para a Copa de 2014.

No dia seguinte, o Diário Oficial do Estado, anunciou com destaque que o dinheiro para o projeto de mobilidade para a capital baiana se destinava à construção do sistema BRT, que são corredores exclusivos para ônibus e previsão de integração com o metrô.

Em 21 de junho de 2011, o governo do estado anunciou que optou por implantar 22 km de trilhos, entre Lauro de Freitas e a Rótula do Abacaxi, passando pela Avenida Paralela. “Agora é o termo de referência e o edital para que a contratação das obras ocorram, no máximo, no início de 2012. Precisamos no final de 2013 começar a operação”, declarou na ocasião o secretário da Copa, Ney Campelo.

O projeto da linha exclusiva de ônibus foi esquecido para o trecho entre Lauro de Freitas e a Rótula do Abacaxi. A opção por fazer a ligação entre a Rótula do Abacaxi e a Paralela com transporte de massa sobre trilhos provocou uma dura reação dos empresários do transporte coletivo.

“Sem dúvida nenhuma, trilho é uma maravilha. Principalmente para quem vê, para quem constroi. Tem que ser bom para quem usa, e quem sabe fazer o transporte para quem usa é o cidadão do transporte e da administração municipal, que está diretamente relacionado com a população e as suas necessidades”, diz Horácio Brasil, superintendente do Sindicato do Transporte de Passageiros de Salvador (Seteps).

Horácio Brasil defende a implantação de um sistema de transportes diferente. “Ônibus em via exclusiva é o sistema que atende à população não só da Paralela, mas de bairros que estão sendo esquecidos pelos trilhos, como Cajazeiras, Subúrbio Ferroviário, Castelo Branco, Pau da Lima. Ônibus que possa atingir toda essa comunidade que realmente está carente de transporte em Salvador”, opina.

Do outro lado da discussão está o governo do estado. O assessor chefe da Secretaria de Planejamento, Alberto Valente, é firme na defesa da opção do estado por um transporte sobre trilhos. “Nós recebemos sete propostas, todas muito boas. Dessas sete houve um afunilamento, hoje nós estamos com a condição de ter eleito que no corredor principal, que é justamente Paralela, que engloba Lauro de Freitas, Aeroporto e Acesso Norte, terá trilho. Mas há duas condições: primeiro atender à demanda da Copa 2014; segundo viabilizar o metrô de Salvador, que hoje tem 6 km. Só para esse corredor, são 22 km, que com os outros seis somam 28 km. Mais os seis a serem construídos, nós vamos para 34 km. Então nós vamos multiplicar por seis vezes o metrô e viabilizá-lo do ponto de vista econômico", pontua Alberto Valente.

Monotrilho ou metrô são as alternativas defendidas pelo governo da Bahia e a decisão por um dos modelos deve sair esta semana. Outra grande polêmica é o projeto de construção das vias exclusivas para ônibus, que prevê um custo alto. “Esse custo está orçado em R$ 570 milhões para ser construído em pouco mais de um ano. Sobre trilho, esse custo está orçado em cerca de R$ 3 bilhões, para ser construído no tempo que Deus permitir, porque a gente sabe que metrô se começa, mas não sabe como termina, nem se termina”, declara Horácio Brasil.

O governo do estado explica o motivo da diferença: “Nós estamos procurando escolher um sistema que garanta uma vida útil mais longa, com uma visão de longo prazo, uma visão que considere o crescimento da população e, principalmente, o crescimento da ocupação lindeira em toda Avenida Paralela e Lauro de Freitas. Hoje nós temos Lauro de Freitas como um dos municípios que mais cresce em população na Bahia, pela vizinhança com a capital. Então, nós estamos querendo um sistema de transporte que nos dê uma capacidade de atendimento de longo prazo”, esclarece o secretário do planejamento, Alberto Valente .

O monotrilho é o tipo de trem que roda sobre apenas um trilho e dois pneus, sempre sobre vigas elevadas. O metrô já é velho conhecido, mesmo sem circular em Salvador. Mas o governo do estado não tem ainda o projeto final definido, enquanto a prefeitura se antecipou e divulgou um vídeo com todos os detalhes sobre o que pretende para o futuro.

Em um mapa feito em computação gráfica pela prefeitura, estão os detalhes da chamada rede integrada de transportes, ligando vários bairros por diversas vias. A animação fala em integração com metrô, trem do subúrbio, sistema complementar, ciclovia e a pista exclusiva de ônibus, o BRT.

O vídeo mostra ainda como pode ficar a Avenida Paralela, com novos viadutos para integrar bairros que ficam nos dois lados da avenida. A animação feita em computação gráfica, mostra como seriam as estações de passageiros. Em umas imagens feitas em várias cidades onde os ônibus articulados já existem, a prefeitura mostra que, além de pistas exclusivas, o BRT pode encarar o trânsito em ruas normais, mas com a vantagem de transportar um maior número de passageiros.

“O melhor meio são ônibus em vias exclusivas, com velocidade e com conforto para o usuário”, diz Horácio Brasil. O secretário do planejamento adianta o que deve ser definido ainda esta semana pelo governo. “A conclusão desse trabalho que está sendo finalizado agora aponta que deve ser por trilho”, finaliza Aberto Valente.

Sobre trilhos ou sobre rodas, a prefeitura de Salvador e o governo do estado sabem que ocupar o terreno que fica entre as duas pistas que divide a Avenida Paralela é um grande desafio. Esse transporte de massa também é um desafio em relação ao prazo, porque o projeto tem que ficar pronto até a Copa de 2014.

Fonte: Do G1 BA, com informações da TV BA